Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Coisas às quais não me habituo...

por o que procuro, em 27.04.10

Já lá vai quase um ano desde que o meu filho nasceu e consequentemente a minha vida e respectivas rotinas se alteraram, contudo não me consigo habituar ao facto de não conseguir fazer tudo no tempo por mim estipulado!

 

Por exemplo, até aqui demorava um dia, bem medido, para limpar a cozinha a fundo (armários, paredes e tecto), nesta fase da minha vida, já perdi o conto aos dias que começo a fazer alguma coisa e acabo no dia seguinte, houve um dia para o forno e fogão, outro para os vidros, hoje são os armários e não sei se consigo acabar...

 

Fico fula comigo mesma, porque vejo as coisas arrastarem-se, mas também não tenho outra forma de resolver o problema.

 

Lá vou eu, tirar pratos, limpar prateleiras e voltar a pôr tudo no sítio, até que ele acorde e chegue a hora do lanche...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:17

A árdua tarefa de educar

por o que procuro, em 09.03.10

Ontem, o meu filho fez um voo rasante da minha cama para o meio do chão, valeu-lhe o tapete fofinho para amparar a queda e um telefonema para a linha de saúde 24 para me acalmar a mim.

 

Dou-me conta que a fase do sossego já lá vai, que ele não pára quieto, que rebola e mexe-se, com uma energia que por vezes julgamos impossível, que o torcicolo que o fez andar na fisioterapia durante quase 9 meses já foi superado, que é agora um bébé normal para a idade dele.

 

E também me apercebo que não há nada pior do que vê-lo sofrer, o choro lacinante ainda ressoa na minha cabeça, o facto de o ver caído no meio do tapete fez o meu coração disparar e é uma imagem ainda presente.

 

São parte de nós, numa simbiose indescritível que nos faz sofrer atrozmente quando sofrem e alegrarmo-nos com a sua alegria, como nunca pensei ser possível.

 

Pode parecer lugar comum, frase feita, mas são emoções que sentimos que nos preenchem e devoram simultaneamente, sejam elas boas ou más e penso que não haverá tarefa mais árdua do que educar os nossos filhos, impor-lhe limites mas deixá-los ir, protegê-los e contudo deixá-los cair...

 

Como tudo isto é trabalhoso, uma realidade nova, uma longa caminhada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:04

Afinal...

por o que procuro, em 05.03.10

O choro nocturno, a rabugice diurna, a necessidade de colo, mimos e atenção por parte do meu filho, têm uma justificação, estão a tentar romper a gengiva, não um, nem dois, mas TRÊS dentes ao mesmo tempo, para não falar nos quatro que já tem à mostra. Pobre criatura, se fosse com um adulto estaria a tomar qualquer coisa forte para as dores, mas ele...bem, aguenta-se com supositórios ben-u-ron, quando tem febre!

 

Tenho para mim, que só temos memória a partir dos 3/4 anos de idade, para não nos lembrarmos, nem termos consciência destes e doutros momentos dolorosos da nossa 1ª infância.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:17

Senhora Bruxa

por o que procuro, em 26.02.10

Ex.a Senhora,

Venho por este meio comunicar-lhe que o mau olhado, feitiço, benzedura, encantamento ou a reza enfeitiçada que fez ao meu filho para que ele não durma de noite, não está a sortir o efeito devido!

 

Ele não dorme, admito, mas continuamos de pedra e cal, a dar carinho, mimo, colo, biberon, cama partilhada e tudo o que for preciso para ele passar por isto, perceber que não é nada e que estaremos cá sempre para ele, com feitiço ou sem ele!

 

Na certeza de que percebeu a minha missiva, desejo-lhe o dobro daquilo que me fez e deseja a mim!

 

Bom fim de semana.

 

Atentamente,

 

O que procuro

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:27

A ansiedade da separação

por o que procuro, em 19.01.10

A minha cria, com 8 meses de vida, já percebeu que é um ser independente de mim e pensa que quando saio do seu alcance visual desapareci para todo o sempre, o que o faz chorar desalmadamente, encontra-se a viver a ansiedade da separação.

 

Este marco do desenvolvimento humano, enquanto reconhecimento de si, como ser autónomo dos progenitores e que pensa ter sido abandonado, não está nada fácil, é que nem dá para um simples banho, ou a satisfação de uma necessidade fisiológica, sem que se ouça uma berraria descomunal.

 

Bem, se pensasse que iria ficar sem a minha Mãe, não faltaria fazer o mesmo! Agora, esta criatura vai ter de perceber que permaneço no mesmo espaço físico, embora ele não me veja... Mas é árduo!

 

Aká brincar ao esconde-esconde e "onde está a mãe?? - está aqui" para vê-lo sorrir e perceber que ainda não é desta que desapareço!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:40

Na minha cama eu deitei e chorei...

por o que procuro, em 04.12.09

O meu filho acabou de adormecer, na minha cama, enroscado em mim...

Fez festas no meu cabelo até que fechou os olhos, aquele rosto minúsculo que transmite tanta paz e serenidade, um respirar descansado, como se nada mais importasse e eu comovo-me desejando que seja sempre assim.

 

A maternidade transforma-nos, como eu nunca pensei ser possível. Alguém disse que não voltamos a mais ser as mesmas e grande parte do tempo isso é bom!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:39

E agora???

por o que procuro, em 25.11.09

Instalou-se a confusão, por muito categórica que tenha sido em dizer que o meu filho não ia ser vacinado contra a gripe A, ontem após a consulta com a pediatra, verificámos que há riscos, ele não está, nem nunca estará por muito que queiramos, protegido de tudo nestas quatro paredes e no nosso regaço.

 

São idas e vindas, são fins de semana fora, são locais que nós próprios frequentamos e trazemos os bicharocos para casa.

 

Informou-nos, aconselhou a vacina e deixou-nos a liberdade de decisão, referindo que em caso de doença apenas pode tomar ben-u-ron...

 

E agora??

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:47

E porque hoje foi dia de vacinas

por o que procuro, em 17.11.09

Depois do tratamento de fisioterapia e da consulta médica de reabilitação física, para avaliação mensal da evolução do meu filho, dirigi-me ao Centro de Saúde da Lapa, para que fossem administradas as vacinas correspondentes aos 6 meses de vida do meu "menicas".

 

Desde logo o segurança perguntou-nos o que íamos fazer e mandou-nos estacionar num sítio certo, coisa que não é habitual, depois seguiu-se uma confusão de crianças e pais na sala de espera, menos normal ainda.

 

Percebi pela agitação e alarido que os senhores deputados se estavam a deslocar em bloco àquele centro de saúde para serem vacinados contra a gripe A, contudo, apesar de uma sala cheia de crianças, maioritariamente menores de 1 ano de idade e da presença de grávidas, suas Exas. tinham prioridade sobre todos eles, além disso, a dignissíma directora do centro de saúde estava presente para receber suas Exas!

 

Dado que habitualmente não se demora mais do que 30 a 40 minutos para que as crianças e até mesmo adultos sejam vacinados, grande parte das mães, moradoras no bairro, deslocaram-se sem "armas nem bagagens", ou seja, nem biberons ou fraldas, acontece que havia quem estivesse ali à espera, com crianças de meses, há quase 2 horas para vacinar os filhos! Ouvia-se e respirava-se ansiedade naquela sala!

 

Com tanto protesto e agitação um bando de senhores que chegou, com motorista incluido para serem vacinados, acabou por voltar para trás, dado que a impaciência dos presentes já se fazia sentir nos protestos vociferados.

 

Acho isto inadmissível, terem prioridade sobre os bébes, ou seja sobre quem for, já não basta terem reduzido o horário de vacinação naquele centro de saúde, só estar uma enfermeira disponível e chega quem menos faz por cada um de nós e passa à frente!!! Este é o Estado deste país...

 

 

Entretanto, fui notificada de que está disponível para o meu filho a vacina contra a gripe A. Vou ser mais uma a engrossar a lista dos que se negam a tal!!

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:41

Acessibilidade

por o que procuro, em 20.10.09

Ricardo Araújo Pereira, no programa "Esmiuça os Sufrágios" referiu a Marinho Pinto que no seu percurso profissional, de jornalista a advogado, só lhe faltava ser fiscal da EMEL, ao que o entrevistado argumentou ser uma profissão digna e louvável, porque permitia às pessoas circularem nos passeios, bem como grávidas e carrinhos de bebé.

Julgo que deve ter visto este anúncio e por isso fez aquela referência aos carrinhos de bebé.

 

 

 

Revejo-me imenso aqui, é horrível andar com um carrinho de bebé na rua, sempre no meio da estrada, porque os passeios estão sempre intransitáveis, com carros, falta de espaço, caixotes do lixo e um sem fim de coisas que perturbam a via pública.

 

Sei que há falta de estacionamento em Lisboa, que os transportes públicos são insuficientes e sou contra a "caça à multa e ao bloqueamento de veículos", contudo, não podemos negar que há muita falta de civismo por parte dos automibilistas, além de muitos só pensarem nos seus próprios interesses, porque para se deslocarem cerca de 500 mt, vão de carro e se o puderem estacionar à porta (literalmente) de casa, tanto melhor, dificultando a acessibilidade e a mobilidade de todos os outros...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:10

Quem dera fossemos herbívoros...

por o que procuro, em 30.09.09

e que a diversidade alimentar significasse tão somente comer umas folhas de trevo ou de centeio, algo assim mais soft, que não implicasse, leite, papas, pratos, colheres e bonecos com música...e um miúdo cheio de genica que precisa de mudar de roupa, porque apesar do babete, está cheio de papa!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D