Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Um assunto recorrente...

por o que procuro, em 07.05.08

Ontem encontrei uma pessoa da minha família, que já não via há anos, minha madrinha de baptismo, irmã da minha Mãe, e que mora, relativamente perto de mim...

 

Todas as famílias têm problemas, não conheço famílias perfeitas, o que existe é uma maior ou menor capacidade de encarar, conversar e resolver os problemas.

 

Na minha família acho que pura e simplesmente se igrnoram os problemas, as situações arrastam-se, causando maior ou menor desconforto, permanecem sentimentos de culpa, de raiva, de recriminação...

 

Mas dia após dia, os anos passam, há quem vá mantendo "as pontas" e as aparências também, são cada vez menos as reuniões familiares (chegávamos a ser 20 pessoas na Ceia de Natal!!), os encontros nos fins-de-semana, ou datas festivas...

 

Vamos mantendo a ilusão de que está tudo bem...

 

Feliz ou infelizmente, todos temos a nossa personalidade, formas diferentes de encarar a vida e de aceitar e vivênciar determinados factos e circunstâncias, opiniões e maneiras de estar diferentes, o problema é quando surgem conflitos com os outros, nomeadamente familiares porque discordam da nossa opinião, porque se acham no direito de nos julgar e porque são detentores de toda a verdade e razão do mundo...

 

Esta intrancigência leva a desentendimentos, a desavenças, que acabam com um afastamento, uma vazio, uma ausência...

 

No meio disto tudo, há sempre quem não tenha muito a ver com estas guerras ancestrais, que são anteriores ao meu nascimento, com as quais não concordo, e que me fazem deparar com isto: uma pessoa a quem não fiz mal nenhum, mas por quem tenho respeito e estima, que vejo muito esporádicamente, porque se afastou daquilo que considera a família, devido aos desentendimentos e intransigências familiares... da ambas as partes, acrescento eu...

 

O que agudiza tudo isto é o facto das pessoas manterem as suas opiniões, julgamentos, e continuarem detentoras de toda a razão, não são capazes de se "colocarem no lugar do outro", tentarem perceber porque pensa e age assim, porque decerto também sofre com toda a situação e com a ausência...

 

Enquanto ninguém quiser dar o primeiro passo, bem posso tentar descurtinar e perceber tudo isto, acho que não vou chegar a lado nenhum...

 

"As pessoas sentem-se sós porque constroem muros em vez de pontes"

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D