Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Família (Parentes e afins)...

por o que procuro, em 16.04.08

Ora vamos lá então ter uma aula de direito da família

 

Os parentes são aqueles que estão unidos por laços de sangue, ou porque descendem uma da outra, ou porque descendem de um progenitor comum (pai, mãe, filhos, irmãos, tios, avós)

Os afins, é ligação que se estabelece com os familiares de um dos cônjuges (sogra, sogro, cunhados, tios e primos do marido/mulher)

 

Isto é um conceito de família mais alargada, porque verdadeiramente e jurídicamente, considera-se família, os cônjuges e seus descendentes, sendo os restantes parentes e afins, chamados apenas para fins sucessórios e de resolução de conflitos, como o uso do nome, prestação de alimentos, etc.

 

Pergunto-me porque é que actualmente se resumiu a família aos cônjuges (maridos e mulher) e aos seus descendentes (filhos)?

 

Talvez num reforço  do seu carácter individualista, na restrição do seu âmbito, que culmina neste modelo nuclear de sociedade familiar...

 

Interessante este carácter individualista da família, talvez se possa relacionar com a era do umbiguismo, aqui, resume-se a 2 ou 3 elementos, que, vivem as suas vidas, sem compartilhar experiências com os restantes membros da família mais alargada...

Talvez esta forma de agir se deva à falta de um sentimento de pertença, de partilha, mas essencialmente por não comungarmos todos dos mesmos valores, príncipios, e do mesmo modus vivendi...

Quando iniciamos uma vida a dois, estatuimos as nossas próprias regras, formas de organização familiar, e de vivência do nosso quotidiano, que muitas vezes não se coadunam com a forma com que a família (parentes e afins) de ambos procede...

 

E quanto a isso, fazer o quê?

 

Reorganizamo-nos de forma a sermos aceites, e a fazermos parte desta família alargada? Ou seguimos em frente em detrimento destas relações?

É que para alcançar algum equilibrio, tenho a sensação de andar sempre num limbo...

 

Alguém me dizia, há algum tempo (saudade ) que era necessário cada um de nós estabelecer uma rede de suporte, para além da família. Isto posto em prática significa: se te acontecesse alguma coisa grave, quem seriam as pessoas que contactavas, para além dos teus pais, do teu marido, ou dos pais dele?

 

Talvez este seja o caminho...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:55



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D