Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A mesquinhez portuguesa

por o que procuro, em 31.10.14

Posso até estar a generalizar e haverá com certeza, boas excepções ao que sinto e vislumbro diariamente, contudo não posso deixar de sentir que a mesquinhez é um sentimento tão particularmente português, senão vejamos:

 

No blog da pipoca mais doce e no seguimento de uma reportagem que passou num dos canais televisivos portugueses, apela-se à solidariedade de cada um para prover às dificuldades financeiras que um casal enfrenta, na sequência de um parto (cesariana) de uma filha com 25 semanas de gestação. Encontram-se mãe e filha hospitalizadas num hospital privado, no DUBAI, onde não existe sistema público de saúde, pelo que face ao sucedido, a cada dia que passa acumula-se um valor cada vez maior e mais complicado de liquidar.

 

Claro que surgiram logo os comentários tão usuais, de pessoas a questionarem-se como é que um casal emigra para um país sem sistema de saúde público?

Com pérolas que passo a citar: "Meu rico Portugal! Prefiro ser desempregada neste país mas ao menos sei que me tratam a mim e aos meus filhos num hospital publico..."

 

Alguém que me explique que importância tem para a situação em causa tudo isto?

Não bastará já a situação difícil que este casal está a viver, com uma criatura nascida com 25 semanas de gestação a lutar a cada minuto pela vida?

Quanto mais ainda haver pessoas que se lembram de os criticar porque abandonaram "meu rico Portugal" para procurar melhores condições de vida ainda que num país sem sistema de saúde público...

 

Julgo não ser este o único comentário deste género perante a situação em causa, deve haver milhentos por esta blogosfera fora, de pessoas que perante situações, já por si difíceis e até críticas, com a vida em causa, a colocarem este tipo de questões ou a comentarem de forma mesquinha as atitudes dos outros.

 

Infelizmente não é caso único, julgo que somos peritos neste tipo de comentários pobres de conteúdo, desditosos que para mim só reflectem uma mente muito limitada por parte de quem os profere.

Não estou imune a nada disto, admito e julgo que já fui autora de alguns (muitos) mas desde que sai do país tenho ainda maior consciência disso e do quão vil é ouvi-los por parte de quem (julga) conhecer-nos.

É mais uma das nefastas características que o povo português tem, que não abona em nada a nosso favor e nos faz perder ainda mais a fé na humanidade!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:13



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D