Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A grande reportagem SIC - Safira

por o que procuro, em 30.10.11

Acabei  à pouco de ver a grande reportagem SIC, sobre Safira, acerca da qual já tinha postado um link com a reportagem da Revista Visão.

 

Ver em imagem toda esta luta, levantou-me algumas questões e observações:antes de mais a atitude dos pais, aberta e investigadora face à doença, não aceitaram benignamente aquilo que lhes foi dito pelos médicos, questionaram e muito o que lhes estava a ser transmitido e logo aí, se depararm com alguma oposição e má vontade, pelos seus questionamentos ou melhor, pelo pôr em causa de um protocolo médico, realizado sempre da mesma forma, independentemente da doença e do paciente.

 

A existência de tratamentos alternativos, que como foi dito por um dos médicos na entrevista, são completamente ignorados pela comunidade médica da especialidade e até mesmo vistos com relutância, justificando-se com a falta de estudos efectivos acerca dos resultados. Acontece que estes estudos não surgem pela falta de recursos para os realizarem, tendo em consideração que ao doente já cabe o ónus do pagamento do tratamento, decerto não sobram meios para financiar entidades, ditas independentes, para levarem a cabo estudos comprovativos da eficácia e eficiência daqueles.

 

Mais, o poderio das farmacêuticas e dos políticos, dificilmente deixarão surgir tratamentos, que se verificam menos agressivos para os doentes mas simultaneamente menos lucrativos para quem detêm um lugar de primazia no mercado da saúde no momento.

 

Talvez através de casos como este se estejam a concretizar pequenos passos, que nos levem e rever a forma como estamos a encarar as doenças, isso e o prémio nobel da medicina, abram novas portas...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Raul a 31.10.2011 às 00:05

Só entendo tratamentos efectuados segundo protocolos aceites pela comunidade médica ou seja aceites pela comunidade científica internacional. Quaisquer outros, para mim não são fiáveis. Mas cada um tem o direito de tomar os chás ou produtos que quiser ou de fazer as massagens que entender ou ir à bruxa ou meter-se debaixo do combóio.
Sem imagem de perfil

De Catarina a 31.10.2011 às 14:08

O médico/ investigador que ganhor o Prémio Nobel é reconhecido pela comunidade científica internacional, de outra forma nunca poderia ganhar esse prémio.
A mim parece-me bem lógico uma frase que disseram na reportagem - quem manda na saúde não são os médicos, mas sim os políticos e as farmacêuticas que pagam os estudos que mais lhe convêm!!
Não me parece mal tentar encontrar uma alternativa científica que possa melhorar a saúde de uma criança...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.06.2012 às 15:01

Excelente comentário Dª Catarina!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.06.2012 às 14:58

mais um comentário repleto de ignorancia
Imagem de perfil

De o que procuro a 31.10.2011 às 16:52

O foco da questão está no facto destes tratamentos alternativos, necessitarem de reconhecimento desta dita comunidade científica internacional, para serem comummente aceites e postos em prática.

Primeiro esta comunidade científica rege-se por valores monetários e por poderes políticos que não aceita facilmente outros protocolos e outras formas de tratamento, seja de que doença se trate; depois os estudos necessários para este reconhecimento são realizados por centros independentes que se fazem pagar a preço de ouro e estão controlados pelas farmacêuticas convencionais.

O que me questiono é se tudo isto retira a eficácia e a eficiência de tratamentos como o que a Safira foi sujeita, ou mesmo o que o Sr. Ralph Steinman se submeteu após a sua descoberta?

Sei que ainda não está comprovada a verdadeira cura com estes novos tratamentos, mas será que lhes darão margem para demonstrar tal facto?
Sem imagem de perfil

De marta vicente a 17.11.2011 às 16:44

boa tarde! espero que a safira continue melhorando e um bem haja a vós pais por se unirem pela safira, sou filha de uma mãe com cancro no pulmão e gostaria que me informassem sobre a morada do instituto onde foram adquiridas as vacinas na Alemanha espera a vossa resposta o mais breve possível para o e-mail: martavicente17@hotmail.com
beijinhos obrigada!
Sem imagem de perfil

De filipe a 18.02.2012 às 03:13

Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, a médica Drª Ana Paula Vidal. Ela conduzia o seu Audi A6 quando se despistou numa perigosa curva da serra da Arrábida, em Azeitão. Era a única ocupante do veículo e teve morte imediata. Ao Dr. Helder Fráguas, as mais sentidas condolências.
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/despiste-brutal-mata-medica
http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=51&id=18122&idSeccao=479&Action=noticia

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D